Como pegar um pato selvagem vivo

Faz algum tempo, um destes formadores de opinião, destas grandes almas que cantam e escrevem estas obras de ultra-sucesso; que gosta, que nasceu por mim e que acredita em mim, falou comigo enquanto eu dormia. Ele me perguntou em tom meio confuso, meio angustiado, meio decepcionado e um pouco meio admirado – “quando eu ia aparecer”.

estrategiasQuando me lembrei de um encontro com o “senhor do oculto”, quando ele me disse, – “porque você quer escrever sobre mim? ninguém quer saber, ninguém se importa comigo”. Acho que me inspirei na resposta dele.

Quando era criança, observei um truque ardiloso que os caboclos usavam para pegar patos selvagens sem matá-los. Todo mundo que vive no campo sabe que os patos selvagens são muito inteligentes e por causa dos caçadores do hemisfério norte, eles não se permitem o contato com humanos.

Contudo, além da carne saborosa, a grande quantidade de ovos que eles botam e as lindas penas, despertavam a cobiça de quem desejava domesticá-los. Para capturá-los era necessária uma estratégia superior.

Eles pintavam a cabeça de um boneco numa cabaça e a colocavam dentro da lagoa onde os patos geralmente ficavam. No início os patos estranhavam aquele boneco pensando que era uma cabeça humana de caçador e não pousavam na lagoa. Depois pousavam distante dela, depois permitiam que ela se aproximasse deles, pois eles percebiam que não era um caçador e sim um boneco feito de cabaça.

Então depois que os patos se acostumavam com aquele boneco que não lhes causava nenhuma ameaça, o caboclo enfiava sua cabeça dentro da cabaça e nadava até os patos, sem deixar o corpo aparecer, aí ele amarrava os pés dos patos e pegava todos de uma única vez.

Assim são os detentores do poder, estes possuidores de autoridades sobre as almas humanas etc. Ao primeiro sinal de ameaça, eles se unem em todos os mundos, e tramam um plano inteligente para deter qualquer um que entre no seu caminho.

Imagina, uma pessoa com intenções de libertar um povo, ou libertar uma humanidade de hábitos, cultura, conceitos e preconceitos? Esta não é tarefa para amador, pois o fim de todos que tentaram isto, ou foram para o crucifixo, ou foram para fogueira, ou foram apedrejados, ou foram para prisão perpétua, ou outra coisa pior.

Eles são tão inteligentes que sabem usar o mesmo povo oprimido contra seu herói. Eu mesmo, lembro de algumas vidas passadas, quando paguei caro por negligenciar certos detalhes.

No final, as pessoas sempre ficam do lado de seus algozes e se viram contra seus mártires. Então, aos heróis resta se contentar com a história de seus feitos.

Os instrutores das escolas de auto-ajuda costumam contar para seus alunos uma história engraçada de um aleijadinho nos Estados Unidos. Era comum no século XVIII dar esmola de alimentos, roupas etc e nunca dinheiro. Pois a moeda valia muito.

Certo dia, um grupo de burgueses resolveu zombar de um mendicante que estava sempre por perto. Eles decidiram fazer graça com a ignorância do pobre homem. As moedas de 1 dollar costumavam ser menores que as de 0,50 centavos que eram muito maiores em tamanho. Então, os burgueses chamaram o aleijado e perguntaram – veja bem, temos aqui duas moedas e você só pode escolher uma, qual das duas você quer receber? O aleijado escolheu a de 0,50 centavos que era a maior em tamanho. Todos lhe davam uma moeda de 0,50 centavos fazendo grande algazarra pela estupidez do pobre homem. E assim se repetiu por muitas vezes. Certo dia, um entre eles com pena do pobre coitado, perguntou-lhe? Porque você não escolhe a menor, ela vale muito mais? O aleijado respondeu, no dia que eu escolher a de maior valor a graça acaba e ninguém me dará nenhuma.

Quem está acostumado com a literatura mitológica greco-romana, sabe que os reis-heróis em algum momento perdem seu poder e para retornar ao seu trono armam uma estratagema. Na odisseia temos o exemplo de Ulisses, que depois de voltar de sua viagem, disfarça-se de mendigo. Para sondar o que acontece no seu país. Se mostra para filho e depois a par de tudo que aconteceu na sua ausência, entra no palácio quando é menosprezado e sofre os maiores escârnios e ultrajes dos que pretendiam a mão de Penélope.

As pessoas comuns geralmente são invisíveis aos olhos dos poderosos, para um herói estrategista isto lhe dá uma grande vantagem. Ele pode enxergar a fraqueza de seus adversários e com seus pares e artifícios alcançar seus objetivos.

Fica a dica para quem deseja pegar um pato selvagem: o truque só funciona uma única vez, então tem que usar a criatividade para pegar mais patos.

Como pegar um pato selvagem vivo
ShortURL: http://jar.io/?p=3965