Arquivo da tag: cromoterapia

Cores primárias

. Cores primárias são aquelas que não podem ser obtidas a partir da mistura de outras cores. São as cores básicas, a partir das quais, todas as demais são obtidas, por isto são chamadas de cores primárias.

Cores Primárias ou cores básicas

As cores primárias são o vermelho, o azul e o amarelo.

Atividade das cores primárias

Se quiser fazer esse teste é simples, pegue os seu lápis de cor e faça em um papel branco um desenho como está abaixo, colocando em um círculo as três cores primárias dispostas proporcionalmente no círculo.

Cores complementares

. Cores complementares são aquelas que estão em oposição no círculo cromático. Uma cor primária sempre tem uma cor secundária como complementar.

Cores complementares e círculo cromático

A cor complementar do azul, que é uma cor primária é o laranja, uma cor secundária. Isso pode ser útil na pintura de sombras e na relação frente e fundo.
Cores análogas: são as que estão lado a lado no círculo cromático.

círculo cromático

O círculo cromático serve para nos orientar na mistura e escolha de cores. Devemos lembrar, porem, que não está lidando com um instrumento científico.

Teoria Básica da Psicologia das Cores

. Psicologia das Cores. Os fatores determinantes no estudo das cores são os elementos que agregam aos fenômenos visuais que dão substância básica daquilo que vemos. Estes fatores ou elementos são: o ponto, a linha, a forma, a direção, o tom, a cor, a textura, a dimensão, a escala e o movimento.

Estes elementos permitem através da associação com as cores fazermos as mais variadas combinações seletivas no trabalho com a cor.

Cromoloiga Teoria Básica da Psicologia das Cores

Segundo a cromologia uma determinada forma básica tem seu valor independente, que pode ser modificado associando ao fenômeno cromático afetando o estado psicológico das pessoas e seres.

O ponto na Psicologia das Cores

Qualquer ponto tem grande poder de atração visual sobre o olho, exista ele naturalmente ou tenha sido colocado pelo homem em resposta a um objetivo qualquer.

A linha na Psicologia das Cores

Quando os pontos estão tão próximos entre si que se torna impossível identificá-los individualmente, aumenta a sensação de direção, e a cadeia de pontos se transforma em outro elemento visual distintivo: a linha.

A forma na Psicologia das Cores

Na linguagem das artes visuais, a linha articula a complexidade da forma. As 3 formas básicas são: círculo, triângulo equilátero e quadrado.

Todas as formas são figuras planas e simples, fundamentais, que podem ser facilmente descritas e construídas, tanto visual quanto verbalmente.

A partir da combinação e variações infinitas dessas três formas básicas, derivamos todas as formas físicas da natureza e da imaginação humana.

Direção na Psicologia das Cores

As formas básicas também apresentam direções característica a elas: horizontal e vertical, diagonal e curva.

Tom na Psicologia das Cores

As variações de luz ou de tom são os meios pelos quais distinguimos oticamente a complexidade da informação visual do ambiente. Vemos o que é escuro porque está próximo ou se superpõe ao claro, e vice-versa. As relações são sempre por comparação.

Cor na Psicologia das Cores

Em sua formulação mais simples, a estrutura da cor pode ser ensinada através do círculo cromático. As cores primárias (amarelo, vermelho e azul), e as cores secundárias (laranja, verde e violeta) aparecem no diagrama. Pode-se incluir também as cores intermediárias a essas.

Textura na Psicologia das Cores

A textura é o elemento visual que serve de substituto para as qualidades de outro sentido, o tato.

Escala na Psicologia das Cores

Todos os elementos visuais são capazes de se modificar e se definir uns aos outros. O processo constitui, em si, o elemento daquilo que chamamos de escala.

A escala pode ser estabelecida não só através do tamanho relativo das pistas visuais, mas também através das relações com o campo ou com o ambiente.

Dimensão na Psicologia das Cores

Nenhuma forma de representação da dimensão é possível sem a ilusão. A dimensão está sempre implícita na forma e depende das relações feitas na composição. Ela fica bem evidente nas composições que utilizam a perspectiva.

Movimento na Psicologia das Cores

O elemento visual do movimento se encontra mais frequentemente implícito do que explícito no modo visual. Porém, o movimento talvez seja uma das forças visuais mais dominantes da experiência humana.

O movimento da composição acontecesse por causa dos elementos compositivos que o cérebro busca através do olho como os eixos de equilíbrio e os sentidos e direções presentes.

Psicologia das cores ou Cromologia

. Psicologia das Cores ou Cromologia. O estudo e aplicação das cores chama-se cromologia. As cores tem alguns significados significados psicológicos, e de acordo com os estudiosos, elas podem provocar sentimentos, lembranças e sensações.

Psicologia das cores

Segundo a cromologia existem evidências científicas que mostram que a luz transmitida pelas cores podem realmente afetar nossas emoções de forma bem profunda.

Para a Psicologia das Cores a escolha das cores é fundamental para uma boa harmonia dos ambientes como a casa, escritório, escola, hospitais. As cores na publicidade podem enfatizar textos, imagens e caracterizar de forma enfática os elementos da propaganda.

A cor exerce influência decisiva nos olhos dos seres humanos, afeta a atividade muscular, mental e nervosa. A combinação das cores afeta o psicológico e pode tornar um ponto importante no interesse do público em seu site.

Combinação e psicologia das cores

A combinação certa pode causar efeitos como de excitação, urgência, contentamento, calma, vulgaridade, melancolia, segurança etc., e ainda destacar algum elemento em relação a outro.

A cor é uma percepção visual provocada pela ação de um feixe de fotons sobre células especializadas da retina, que transmitem através de informação pré-processada no nervo óptico, impressões para o sistema nervoso.

A cor de um material é determinada pelas médias de frequência dos pacotes de onda que as suas moléculas constituintes refletem. Um objeto terá determinada cor se não absorver justamente os raios correspondentes à frequência daquela cor.

Cores terciárias

. As cores são divididas em primárias, secundárias, terciárias e neutras. Cores terciárias são as cores que se consegue misturando uma cor primária com uma cor secundária.

Cores terciárias quais são.
O amarelo alaranjado se consegue misturando o amarelo (cor primária) com o laranja (cor secundária). Misturando-se o vermelho (cor primária) com o laranja (cor secundária), chega-se ao vermelho alaranjado. São todas as outras cores, como o marrom, que é a mistura de amarelo ou vermelho com preto.

Propriedades das cores terciárias

As cores terciárias são resultados da mistura de uma cor primária com uma ou duas cores secundárias.

As propriedades das cores são: tom, saturação e intensidade. O tom da cor é identificada como azul, verde, amarela etc. A saturação da cor mostra se a cor é natural ou pigmentada artificialmente. A intensidade caracteriza a força da cor.

Exemplos de cores terciárias

Azul terciário é resultado da mistura da cor violeta (obtida de azul e vermelho) com a cor verde (obitida de azul e amarelo). Quando se ajusta a quantidade, obtém uma gama de azuis muitos bonitos e exóticos, como por exemplo o azul xisto e o aspecto de ardósia.

Um Vermelho terciário muito destacante, aquele das capas dos magos hermétistas (a cor de mércurio), obtém-se misturando a cor laranja (obitda do vermelho e amarelo) com a cor violeta (obitida vermelho e azul).

As cores e os efeitos psicológicos

. As cores e os efeitos psicológicos. A cromologia é o estudo da psicologia das cores, do efeito sobre as pessoas que os ambientes e formas geométricas causam. Os espaços vazios reforçam a unidade de grupos, harmonizam as áreas, aumentam o contraste e facilitam a visualização e leitura.

As cores e os efeitos psicológicos

Segundo a psicologia das cores, as cores e os efeitos psicológicos, diz que em geral as cores claras e quentes dar uma sensação psicológica de elevação e expansão, devido a isto, era comum no passado as casas terem o teto pintado de azul e paredes amarelas, tendo assim a sensação de mais espaço.

Conforme os estudiosos, nunca se deve pintar um teto de preto ou roxo, essas cores passariam a sensação de opressão e clausura.

Sensações visuais nas cores e os efeitos psicológicos

Branco – pureza
Preto – negativo
Cinza – tristeza
Vermelho – calor, dinamismo
Rosa – graça, ternura
Azul – pureza, fé

Sensações Acromáticas nas cores e os efeitos psicológicos

Branco: inocência, paz, divindade, calma, harmonia, para os orientais pode significar morte, batismo, casamento, cisne, lírio, neve, ordem, simplicidade, limpeza, bem, pureza.

Preto: sujeira, sombra, carvão, fumaça, miséria, pessimismo, melancolia, nobreza, seriedade. É expressivo e angustiante ao mesmo tempo. Alegre quando combinado com outras cores.

Cinza: pó, chuva, neblina, tédio, tristeza, velhice, passado, seriedade. Posição intermediária entre luz e sombra.

Sensações Cromáticas nas cores e os efeitos psicológicos

Vermelho: guerra, sol, fogo, atenção, mulher, conquista, coragem, furor, vigor, glória, ira, emoção, paixão, emoção, ação, agressividade, perigo, dinamismo, baixeza, energia, revolta, calor, violência.

Laranja: prazer, êxtase, dureza, euforia, outono, aurora, festa, luminosidade, tentação, senso de humor. Flamejar do fogo.

Amarelo: egoísmo, ciúmes, inveja, prazer, conforto, alerta, esperança, flores grandes, verão, limão, calor da luz solar, iluminação, alerta, euforia.

Verde: umidade, frescor, bosque, mar, verão, adolescência, bem-estar, paz, saúde (medicina), esperança, liberdade, paz repousante. Pode desencadear paixões.

Azul: frio, mar, céu, horizonte, feminilidade, espaço, intelectualidade, paz, serenidade, fidelidade, confiança, harmonia, afeto, amizade, amor, viagem, verdade, advertência.

Roxo: fantasia, mistério, egoísmo, espiritualidade, noite, aurora, sonho, igreja, justiça, misticismo, delicadeza, calma.

Marrom: cordialidade, comportamento nobre, pensar, melancolia, terra, lama, outono, doença, desconforto, pesar, vigor.

Púrpura: violência, furto, miséria, engano, calma, dignidade, estima.

Violeta: calma, dignidade, estima, valor, miséria, roubo, afetividade, miséria, calma, violência, agressão, poder sonífero.

Vermelho-alaranjado: sexualidade, agressão, competição, operacionalidade, desejo, excetabilidade, dominação.